Vida conjugal: por qual lei você está preso?

downloadSe não existir o desejo de toque, do beijo, da cumplicidade, da admiração, do palpitar do coração, não se poderá falar de amor.
Israel para Deus, era fruto de suas delícias (prazer sexual) e não de um ato de reprodução.
Um legalista religioso dirá que a esposa é aquela que a lei diz de quem é, que pelo papel, documentando, fixa o “acordo”, que muitas das vezes já foi quebrado no coração. Este ou aquela está preso(a) pela lei dos homens e de uma tradição que os amaldiçoa a viver na amargura da contínua afirmação: “o que Deus uniu, não separe os homens” (Mc. 10.9) Jesus, naturalmente, falando a linguagem dos legalista, dizia de algo muito mais profundo, a saber, que, o que Deus faz, o homem não pode desfazer. Quando duas pessoas ligadas pelo amor, cumplicidade e afetividade, não pode ser destruída pela força da lei.
A verdade que liberta, não se coaduna com o espírito legalista. Este é cego e dominador enquanto o outro, a liberdade, conduz a felicidade.
Um homem legalista aprisiona sua felicidade (esposa, marido, filhos), mas o livre a deixa livre das obrigações afim de té-la pelo desejo que querer ficar.
Não basta dizer: quero ficar com você, mas precisa deixá-la dizer: eu também quero ficar com você.
Unidos pelo desejo mútuo e pela entrega livre. Um homem estará ligado a Deus pela liberdade de o desejar e não pela obrigação da lei. Assim, a mesma lei serve para o amor da união conjugal. E serão dois, uma só carne. Uma unicidade de desejos, sonhos e cumplicidade.
Por qual LEI você está preso: a do amor livre ou o da lei imputada?

25/11/12

Paulo Filoteus

Anúncios

3 pensamentos sobre “Vida conjugal: por qual lei você está preso?

  1. A RELAÇÃO NO LUGAR DA POSSE

    Meu marido; minha esposa; minha namorada…
    Uma forma de expressão que as vezes não condiz com a realidade existencial.
    Não se toma o outro como seu/sua por razões de direito de posse.
    Pode ser que em certo contrato (certidão) formalize uma união de partes, mas na sua concretude ela não exista.

    No lugar de dizer: ele/ela é minha; que se diga primeiro: eu sou dele/dela; e que da outra parte haja reciprocidade.
    Tomando o outro como propriedade seu/sua, sem que haja doação da outra parte, é um ato de posse dominadora e opressora.

    Cada qual se doe ao outro, voluntariamente, de maneira que se diga: eu sou teu/tua!
    Sem esta entrega/doação não há relação, pois na relação deve haver reciprocidade, cumplicidade e liberdade de ir e vir.
    Não podemos obrigar o amor, mas podemos ser obrigados pelo amor. Uma obrigação voluntária e deliberada de se render pelo outro e para o outro.

    Então, diremos: “Eu sou do meu amado, e ele me tem afeição” (Cânticos 7.10).
    É fácil dizer “O meu Deus, o meu Senhor”, porém, dizer “eu sou dele”, pra depois ele ser meu, é mais difícil.

    Que eu seja teu e que tú sejas minha, não por que disseram, mas porque quiseste ser.

    23/02/13

    Paulo Filoteus

  2. Amado irmão a paz do senhor Jesus!
    Ele deixou sim a carta de divorcio
    O livre arbitrio
    sim tudo para nos deixarmos bem confortaveis e felizes
    Casamento é aliança que não pode ser quebrada
    casamento não é e nunca foi prisão muito pelo contrario
    o que acontece é que ele da muito trabalho então vamos partir pra utra contrução pois esta eu desisto “me cansei”
    pra que continuar se posso pegar uma ja pronta, puro engodo de satanaz e desejo da nossa carne.do nosso ego-maldito
    quando deixa de jesus ser o centro de nossas vontades desejos sonhos etc,etc,etc…
    e se tornarão uma ´so carne… oque o outo faz automaticamente o outro tb vai sentir “da trabalho meu caro!”
    divorcio é puro egoismo.
    Mas o nosso Deus diz eis que faço nova todas as coisa no casamento não é diferente
    ele renova tudo, faz tudo novo
    o problema é preguiça de orar de jejuar de fazer a vontade daquele que nos alistou para essa tão grande salvação
    eu não quero atalho quero levar a minha cruz até o fim
    O trabalho do ourivez é duro e porque vc não quer sentir a dor?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s