OS PECADOS PARA A MORTE EM 1 JOÃO 5.

morteBase de estudo na primeira epístola de João.

Em 1 João 5:16 diz: “Se alguém vir pecar seu irmão, pecado que não é para morte, orará, e Deus dará a vida àqueles que não pecarem para morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que ore.”
Qual é o tipo de pecado que João se refere?
Em primeiro lugar, a morte que João fala não é física, mas Espiritual, pois diz que os filhos de Deus já passaram da morte para a vida (1Jo.3:14,15).
Como, em todo o texto inspirado, encontramos sempre consonância com outros texto e conteúdo bíblico, devemos entender com base na revelação contextual de outras passagens para conhecer o que o Espírito Santo diz à Igreja (Ap. 2:29; 3:6,13,22).
Na mesma carta, encontramos indicações de quais pecados fala, a saber, dois tipos de pecados: que geram a morte e dos que não geram a morte.
Para adiantar, iremos demonstrar que se trata de dois tipos ou formas de pecados: os voluntários (propositais, premeditados) e os involuntários.
No início da carta, João diz que aquele que pensa não ter pecado, engana-se a si mesmo e faz de Jesus mentiroso (1Jo.1:8-10). Quem anda na luz, no temor da verdade (1Jo.2:20,21), o sangue de Jesus nos purifica de todo o pecado (falhas)(1Jo.1:7).
Pecado e iniquidade, para João, é a mesma coisa (3:4). Pecar significa “errar o alvo” e iniquidade é particularidade de quem é iniquo (do latim: iniquitas.atis) que diz daquele que se opõe a justiça e a equidade (1Jo.3:7,10).
João está protestando contra os iníquos que são contra a justiça e equidade. Aqueles que praticam injustiça que, a exemplo de Caim, matou a seu irmão (1Jo.3:12) mesmo sendo avisado e orientado ou seja, cometeu iniquidade de forma deliberada, voluntária e consciente.
1 – O pecado para a morte: pecado voluntário, deliberado. (Heb.10:26; 1 João 5:18)
O texto mais forte concernente ao perigo da prática do pecado está em 1Jo.3:9, que diz:
“Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus”.
João fala que o nascido de Deus não peca, ou seja, não tem prazer na prática da iniquidade, ao passo que, são filhos do diabo aquele que pratica de forma premeditada e consciente a iniquidade. São aqueles que mesmo de forma consciente da vontade de Deus e, contrariam em iniquidade.
Em 5:18 diz que “quem é nascido de Deus não peca” ou não tem prazer na prática do pecado, pois o gerado por Deus conserva-se a si mesmo e o maligno não o toca. O diabo não encontra legalidade na vida daquele que nasceu de Deus.
Veja que neste caso, o homem decide de forma deliberada contrariar a justiça e a equidade que visa o bem de todos os homens.

2 – Pecados que não geram a morte. (involuntários)
Mas, João não diz que não temos pecados nem muito menos que não pecamos. Lendo agora o texto do cap. 2 e vers.1 que diz:
“Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.”(1Jo.2:1)
Deixa claro um tipo de pecado involuntário, sem deliberação, sem premeditação indicado pela conjunção “Se”: “Se alguém pecar”.
Ao passo que o pecado deliberado é como o pecado de rebeldia, pois caracteriza um ato deliberado, pensado, calculado e criminoso, que gera a morte(espiritual), os atos involuntários, sem premeditação, sem desejo voluntário, não gera a morte, mas estão debaixo do sangue de Jesus.
O apóstolo Paulo diz que nele, havia uma luta entre a carne e o espírito (humano), pois o mal que ele não queria fazer, sempre fazia(Romanos 7:9)
Para reforçar a base com argumento teológico, prestamos a atenção no que diz Hebreus 10.26: “Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados,”. O escritor aos Hebreus também adverte sobre aquele que “pisar o filho de Deus”(1Jo.10:29).
Entendemos, pela revelação bíblica, que para os que pecam voluntariamente, de forma deliberada, não há remissão para tais pecados. O perdão de Deus não pode agir sem o arrependimento no Espírito de Deus.
O tipo de oração que fala João aqui é para o perdão de pecados e cura. Por tal razão, João diz que para tais pecados não há possibilidade de cura ou perdão.
Não tem haver com o tipo de oração que se faz por todos os homens para salvação: “Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens;” (1 Timóteo 2:1)
Assim, oremos por todos aqueles que andam errantes para que o Senhor os alcance por intermédio do Espírito Santo, mas sabendo que não pode haver conversão e arrependimento por aquele que convence o mundo do erro (Espírito Santo). Deus sempre ouvirá o clamor do arrependido, mas não atende pedidos da boca para fora.
Toda ação é feita pelo Espírito Santo (arrependimento, conversão), mas só poderá ser feito no coração que já deixou o prazer de pecar. Este passa ser gerado por Deus e uma vez iniciado a conversão, toda a obra será completa no coração.
Pode o homem até ter o desejo de vingar e destruir, mas o praticar não deve ser um prazer de sua alma. Peça perdão ao Senhor e o Espírito Santo removerá o mal, dando lugar para um novo nascimento e juízo de Deus.

09/10/14

Paulo Filoteus – Apologeta Cristão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s